Fatores de personalidade, funcionamento cognitivo e sintomas de depressão em idosos

ccl

Dissertação de Mestrado de Valéria Gonzatti intitulada “Fatores de personalidade, funcionamento cognitivo e sintomas de depressão em idosos”, defendida na PUCRS.

Resumo:

Os fatores de personalidade relacionam-se ao funcionamento cognitivo de idosos e sintomatologia depressiva na velhice. O modelo dos Cinco Grandes Fatores é composto pelos fatores Extroversão, Amabilidade, Conscienciosidade, Neuroticismo e Abertura à experiência, sendo um dos modelos mais aceitos para investigar a personalidade. Altos índices de Neuroticismo associam-se com pior desempenho em tarefas cognitivas e Abertura à experiência parece ser um importante fator para a manutenção das capacidades cognitivas durante o processo de envelhecimento. Os fatores de personalidade não são estáticos ao longo do ciclo vital, demonstrando mudanças em períodos normativos do desenvolvimento humano. Desta forma, o objetivo principal dessa dissertação foi investigar a relação entre os Cinco Grandes fatores de personalidade, funcionamento cognitivo e sintomas depressivos em idosos. Buscou também analisar o papel da relação do funcionamento cognitivo e de sintomas depressivos nos fatores de personalidade de idosos; comparar a amplitude dos fatores de personalidade entre idosos e adultos; e verificar o papel das variáveis sociodemográficas (idade, escolaridade, renda, sexo e estado civil) nos fatores de personalidade de adultos e idosos. Considerando os objetivos desta dissertação, foram desenvolvidos dois estudos empíricos que tiveram delineamento transversal. No primeiro estudo, foram avaliados 72 idosos, com idades entre 60 e 85 anos, recrutados em grupos de convivência de Porto Alegre e Região Metropolitana. Os idosos responderam a uma ficha de dados sociodemográficos, a testes cognitivos que avaliavam atenção, memória e funções executivas, ao inventário de personalidade (NEO-FFI-R) e sintomalogia depressiva (GDS-15). No segundo estudo, a amostra foi composta por 151 participantes, sendo 78 idosos e 73 adultos, que responderam a uma ficha de dados sociodemográficas e ao NEO-FFI-R.Os resultados do primeiro estudo mostraram que os sintomas depressivos aparecem mais fortemente associados, em relação aos demais, a índices mais altos de Neuroticismo e mais baixos de Extroversão, Abertura à experiência e Conscienciosidade. Em relação ao funcionamento cognitivo, verificou-se que os idosos que apresentam pior funcionamento executivo, demonstram índices mais altos de Neuroticismo e mais baixos de Extroversão. No segundo estudo, observaram-se diferenças entre os fatores de personalidade de idosos e adultos. A faixa etária adulto obteve maior risco para classificação alta em Neuroticismo, Extroversão e Abertura à experiência. Por outro lado, os idosos apresentaram maior risco para classificação alta no fator Conscienciosidade. A partir dos resultados dos dois estudos, pode-se concluir que existe uma relação entre fatores de personalidade, funcionamento cognitivo e sintomatologia depressiva em idosos. Além disso, observou que os adultos diferem em relação aos idosos quanto à amplitude dos fatores de personalidade.

Para acessar a dissertação completa click no link abaixo:

http://hdl.handle.net/10923/7015

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s